Header Ads

Wesley Safadão revela por que abandonou as 'músicas sobre rapariga'

Artista gravou as inéditas Ressaca de saudade, Ar-condicionado no 15, Decreto liberado e Quem bate também chora no DVD em Miami. Foto: Luiz Fabiano/Divulgação
De visual renovado, Wesley Safadão vive a melhor fase da carreira. Ele acaba de gravar o DVD WS in Miami Beach, abandonou os cabelos longos e fincou seu repertório de forró eletrônico em território internacional. "Sempre digo que sou de Fortaleza, do Ceará, do Nordeste. Hoje, posso rodar o Brasil todo e dizer: sou do Nordeste e minha música é o forró", afirma o artista de 28 anos em entrevista exclusiva ao Viver. O cantor comentou temas polêmicos como a inserção de forró eletrônico e do sertanejo nas programações juninas do Nordeste e importância de não cantar músicas que maculam a imagem da mulher.

Confira o roteiro de shows do Divirta-se

Acostumado a entreter públicos numerosos, o trabalho do Safadão vai além e conquista as crianças. Isso faz com o que o artista tenha mais atenção à escolha o repertório. "Já cantei muitas músicas que falavam a palavra rapariga. A gente começa a ter o entendimento de que não canta voltado para criança, mas tem público infantil muito grande", analisa. Recentemente, ele foi atração de um show beneficente em prol do Imip e se apresentou para crianças e idosos, público que não costuma ir aos shows dele.

Apontado como um dos maiores cachês do país, Safadão se consolida como um showman. Ele é requisitado em programações de rodeios, festivais e casas de shows, e faz uma média de 25 apresentações mensais. A empresa WS também assina a produção de festas com selo próprio, como o Garota Vip, Garota White e o mais recente bloco Vai Safadão, realizado no domingo e marcado por acidente com dez vítimas de choque elétrico. "Chegar nesse momento não foi fácil e manter também não é. Mas continuaremos trabalhando com todo o carinho e respeito, sempre empenhados", garante.  

Nas redes sociais, Safadão compartilha a rotina da família no Instagram Stories e mostra os bastidores dos shows. Por lá, aparecem com frequência os filhos Yhudy e Ysis, a esposa Thyane Dantas, a mãe Dona Bill e ainda sobrinhos e amigos. Safadão também registra os momentos de descontração com a equipe que o acompanha. As brincadeiras entre ele e Odete, maquiadora e cabeleireira, que é transsexual, revelam intimidade e cuidado. "Tenho muito cuidado até com as brincadeiras. Tenho muitos fãs homossexuais e os trato com todo o carinho do mundo. Mostrar essa minha ligação e carinho com ele (Odete), pode ajudar as pessoas a se espelharem", diz o artista, sobre o combate à homofobia. 

Por Diário de Pernambuco

Nenhum comentário

Adalberto Gomes Noticias . Imagens de tema por MichaelJay. Tecnologia do Blogger.