Header Ads

Em Alagoas, Taxa de Bombeiros já está sendo distribuída na capital e interior

Recurso é voltado para compra de equipamentos operacionais, como roupas de proteção para combate a incêndio, capacetes, desencarceradores, além de viaturas de resgate
Recurso é voltado para compra de equipamentos operacionais, como roupas de proteção para combate a incêndio, capacetes, desencarceradores, além de viaturas de resgate Foto: Márcio Ferreira
Todos os anos o Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas (CBMAL) conta com a contribuição da população alagoana, pelo pagamento da Taxa de Prevenção e Combate à Incêndio, conhecida como Taxa de Bombeiros, para reequipar a corporação e assim prestar um serviço de qualidade no Estado.

Os boletos do tributo já estão sendo distribuídos nas residências da capital Maceió, em dos municípios de Marechal Deodoro, Arapiraca e Maragogi, com vencimento para o dia 15 de dezembro.

No ano passado, foram arrecadados com a Taxa de Bombeiros R$ 2.533.511,83 (dois milhões, quinhentos e trinta e três mil, quinhentos e onze reais e oitenta e três centavos), que foram investidos na compra de equipamentos operacionais, como roupas de proteção para combate a incêndio, capacetes, desencarceradores, além de dez viaturas de resgate, promovendo uma importante evolução do serviço a cada ano.

Segundo o tenente coronel Ricardo Cruz, chefe da seção de informação da Assessoria de Planejamento do CBMAL, a taxa é um recurso que a corporação conta para melhor servir. “Pedimos que a população continue pagando sua taxa de bombeiros, porque ela é um instrumento com o qual a corporação pode investir em melhores equipamentos e assim retornarmos um serviço de qualidade”, explicou o tenente coronel.

O valor da taxa varia de acordo com a metragem e o tipo do imóvel (residencial ou comercial) sendo cobrado um mínimo de R$ 20 para pequenos imóveis. São isentos da taxa edificações privativas de uma única família com área construída de até 40 m², além de instituições de assistência social sem fins lucrativos, autarquias e fundações mantidas pelo poder público.

O pagamento da taxa é obrigatório, previsto na Lei Estadual Nº 6442/03, e a falta de pagamento do mesmo acarreta a inscrição do imóvel na dívida ativa estadual. O pagamento independe do nome do proprietário, visto que a taxa incide sobre o imóvel, mas os dados do proprietário devem estar sempre atualizados junto à prefeitura, pois a base de dados utilizada é a mesma do IPTU.

SITUAÇÃO DO IMÓVEL E 2ª VIA

Para consultar a situação fiscal do imóvel e a obtenção de uma segunda via, o contribuinte deve acessar o site da corporação através do endereço www.bombeiros.al.gov.br. Para facilitar o atendimento tenha em mãos o nº de matrícula do seu imóvel, que pode ser verificada na capa do carnê do IPTU, no campo Nº de inscrição.

Por Redação Blog Adalberto Gomes Notícias com Agência Alagoas

Nenhum comentário

Adalberto Gomes Noticias . Imagens de tema por MichaelJay. Tecnologia do Blogger.