Header Ads

Justiça concede habeas corpus a ex-prefeito de Mata Grande, suspeito de desviar R$ 3 milhões

Jacob Brandão/imagem google
A desembargadora Elisabeth Carvalho Nascimento concedeu, neste domingo (06), habeas corpus ao ex-prefeito da cidade de Mata Grande José Jacob Gomes Brandão. Segundo a decisão, o ex-gestor não possui mais acesso a qualquer documento que possa ser pelo Ministério Público para demonstração de ilícitos penais. José Jacob Gomes Brandão – que está foragido - é acusado de participar de uma organização criminosa que teria desviado mais de R$ 3 milhões dos cofres públicos.
Além disto, a desembargadora ressalta Jacob Gomes não possui qualquer aparente gerência sobre os servidores públicos que possam dar lastro probante a possíveis acusações dirigidas ao ex gestor.
Desembargadora Elisabeth Carvalho Nascimento
“A prisão preventiva do acusado, com fundamento na garantia da ordem pública, ou mesmo para assegurar a instrução criminal, não deve subsistir, haja vista que as circunstâncias fáticas e, sobretudo, as condições subjetivas favoráveis do paciente não põem efetivamente em risco a ordem pública (é primário, tem residência em local certo, nunca ameaçou testemunhas, não apresenta risco de fuga, não é mais Prefeito Municipal desde o dia 31/12/2016, não apresenta perigo à ordem pública)”, diz um trecho da decisão proferida.
Na decisão, a desembargadora também diz que não se ignora, na hipótese, o grau de reprovabilidade da acusação que recai sobre o ex-gestor. “Contudo, a prisão preventiva não tem natureza da antecipação de pena, mas se trata de medida de natureza processual que não dispensa o preenchimento de seus pressupostos legais, traduzidos por intermédio de fundamentação idônea, concreta”, concluiu.
O Ministério Público Estadual de Alagoas (MPE) disse, em nota, estar surpreso com a decisão da desembargadora Elisabeth Carvalho, no plantão deste final de semana e  informou que vai interpor recurso contra a liminar concedida, uma vez que o beneficiado Jacob Brandão, ex-prefeito de Mata Grande, era foragido da justiça e está na condição de investigado.
O caso
José Jacob Gomes Brandão e Márcia Coutinho Nogueira de Albuquerque, ex-prefeitos dos municípios de Mata Grande e Passo de Camaragibe, respectivamente, são acusados de participar de um esquema envolvendo a suposta compra de medicamentos por meio de notas fiscais fraudulentas, causando um prejuízo de mais de R$ 3 milhões aos cofres públicos.
 Por Cada Minuto

Nenhum comentário

Adalberto Gomes Noticias . Imagens de tema por MichaelJay. Tecnologia do Blogger.