Header Ads

Em Delmiro Gouveia e Santana do Ipanema, serão construídos abatedouros regionais pelo governo do Estado

Imagem google
Ofertar carne inspecionada à população e fortalecer a cadeia produtiva da pecuária de corte em Alagoas. Estes são alguns objetivos que constam dentro do Programa de Regionalização de Abatedouros, ação desenvolvida pelo governo de Alagoas, por meio da Secretaria da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura (Seagri).

Com investimentos de recursos da ordem de R$ 30 milhões pelo governo de Alagoas, o Programa de Regionalização de Abatedouros visa fortalecer a cadeia produtiva da pecuária de corte, possibilitando que todo o rebanho seja abatido no estado conforme à legislação.

Para o governador Renan Filho, é preciso enfrentar a agenda dos abatedouros. Ele lembrou que, em Alagoas, é grande o volume de carnes oferecidas à população proveniente do abate clandestino ou em matadouros públicos sem as mínimas condições de higiene.

“Trata-se de uma agenda necessária, porque a gente não tem abatedouro na região e precisamos de unidades dentro das novas tendências. A estruturação desse projeto começará por Viçosa, onde vamos conceder o matadouro à iniciativa privada”, afirma Renan Filho.

Segundo o governador, a empresa que ganhar a licitação de concessão terá a obrigação de adequar os mercados públicos dos municípios, sem sacrificar as prefeituras. Até o fim deste mês será lançado o edital para o matadouro regional de Viçosa.

Como explica o secretário da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura, Álvaro Vasconcelos, o abate clandestino de animais representa um risco iminente à saúde pública, tendo como consequência a exposição da população às zoonoses como tuberculose, brucelose e toxoplasmose, transmitidas pela manipulação e/ou consumo da carne contaminada.

Durante inspeção em 16 matadouros públicos e particulares, a Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária de Alagoas (Adeal) ficou constatado que nenhum dos matadouros fiscalizados obedece a Lei que regulamenta esse tipo de estabelecimento, pois possuem estrutura absolutamente sucateada, além de poluir o meio ambiente, o que denota a total impossibilidade de funcionamento.

Com um novo conceito, o Programa de Regionalização de Abatedouros, lançado pelo governador Renan Filho, em Viçosa, vai seguir a regulamentação estadual e federal, com metodologia adequada para diminuir os custos de manutenção para que a carne chegue com qualidade à mesa do consumidor alagoano, atendendo às legislações sanitárias.

Entre os municípios definidos para a construção e readequação de Abatedouros Regionais estão Viçosa, Murici, Matriz do Camaragibe, União dos Palmares, Santana do Ipanema, Delmiro Gouveia e Igreja Nova.

Em funcionamento, cada abatedouro frigorífico terá capacidade de abate diário de até 150 animais, com uma estrutura física adequada e equipamentos modernos para atender a demanda de cada região, possibilitando assim, que todo o rebanho seja abatido em Alagoas, de acordo com o que preconiza a legislação.

Além de oferecer carne inspecionada à população, o Programa de Regionalização de Abatedouros terá um modelo de gestão de concessão pública, além de aquisição de caminhões para o transporte de carnes, câmaras frigoríficas, freezer, balanças, entre outros.

Por Ascom Seagri

Nenhum comentário

Adalberto Gomes Noticias . Imagens de tema por MichaelJay. Tecnologia do Blogger.