Header Ads

Projeto Renascendo visa revitalização do São Francisco

Mata Grande em Alagoas, município participante do Projeto Renascendo. Foto: André Souza
Ações são executadas pelo Instituto Palmas, com o patrocínio da Petrobras, por meio da recuperação e monitoramento de nascentes, reflorestamento de matas ciliares, implantação de barragens, instalação de sistemas de irrigação, seminários de sensibilização com as comunidades rurais e a disseminação de práticas sustentáveis através da educação ambiental

A escassez de água é um dos principais problemas enfrentados pelas comunidades do sertão de Alagoas e Pernambuco. Os longos períodos de estiagem têm provocado diversos transtornos, como a falta de água para o consumo humano e animal, afetando ainda a produção de alimentos. Sensibilizado com essa realidade, o Instituto Palmas propôs o Projeto Renascendo, que visa a disseminação de conhecimentos e práticas na melhoria da convivência com o semiárido.

Nascente recuperada pelo projeto Renas-ser, a Fonte de Ivan, na comunidade Sitio do Urubu, no município de Mata Grande, Alagoas. Foto: André Souza
A ação, que tem o patrocínio da Petrobras, objetiva a sustentabilidade hídrica da Bacia Hidrográfica do Sao Francisco, por meio da recuperação e monitoramento de nascentes, reflorestamento de matas ciliares, implantação de barragens, instalação de sistemas de irrigação, seminários de sensibilização com as comunidades rurais e a disseminação de práticas sustentáveis através da educação ambiental.  

O projeto tem duração de dois anos e é composto por diversas etapas. Atualmente, estão sendo realizados o mapeamento e diagnóstico de nascentes nos municípios de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi e Pariconha, no Alto Sertão Alagoano, e Tacaratu, no Sertão Pernambucano. A equipe está fazendo ainda o monitoramento das fontes de água que foram revitalizadas a partir das ações do Projeto Renas-Ser, executado em 2015 com o apoio do Instituto Palmas, que chegou a recuperar 55 nascentes.

“Nessa etapa estamos realizando o monitoramento, in loco, das nascentes recuperadas por meio do Renas-Ser, preparando o diagnóstico de como se encontram essas áreas para que, em um segundo momento, possamos mapear novas nascentes a serem recuperadas”, explicou o Coordenador Técnico do Projeto Renascendo, Pablo Vieira Tomás.

José Ivan Alencar, ao lado das rapaduras produzidas no engenho da comunidade Sítio do Urubu, cujas águas da Fonte abastecem a irrigação de cana de açúcar. Foto: André Souza
A revitalização das nascentes oferece à comunidade onde está localizada, não somente o acesso à água de qualidade para o consumo, mas também educação ambiental, envolvendo a população em todo o processo. Para a Assessora de Educação Ambiental do projeto, Ana Cristina Accioly, esse processo educacional é interativo. “Procuramos, no decorrer de todo o projeto, dialogar ativamente com a comunidade. Há uma troca entre o saber acadêmico e o saber popular, onde construímos participativamente as soluções a serem realizadas. O nosso foco é o caráter participativo das pessoas, organizações e comunidades onde a nascente está inserida”, ressalta. A educação ambiental também é irradiada a partir  das escolas, onde os estudantes são agentes ativos no processo. “Desta forma, as crianças e jovens, público majoritário nas escolas, serão atores estratégicos para trazer novos valores e práticas mais sustentáveis nas comunidades”, fala Ana Cristina.

O conjunto de ações do Projeto Renascendo implica também na geração de renda, na soberania alimentar das comunidades e inserção de novas práticas sustentáveis, como acontece na Fonte de Ivan, localizada na comunidade Sítio do Urubu, no município de Mata Grande, em Alagoas. Lá, a água abastece a irrigação nos plantios de feijão de corda, cana de açúcar e mandioca, e beneficia também pessoas de localidades vizinhas. “A água serve para tudo: para dar a bicho, para gente beber, para irrigação. Com essa seca enfrentada aqui na região, quem salvou a comunidade foi essa nascente, pois todo mundo só pegava água aqui, que não tinha água mais em canto nenhum do mundo”, ressaltou o produtor José Ivan de Alencar.

O Projeto Renascendo tem o patrocínio da Petrobras, com apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas (Semarh), Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas, além da parceria das prefeituras municipais de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu.

O Instituto Palmas é uma organização sem fins lucrativos, fundada em 2002, cuja missão é a promoção do desenvolvimento econômico e social e combate à pobreza; promoção da ética, da paz, da cidadania, dos direitos humanos, da democracia e dos valores universais; promoção da cultura, defesa e preservação do patrimônio histórico e artístico; defesa e preservação do meio ambiente e promoção do desenvolvimento sustentável; promoção dos direitos estabelecidos e construção de novos direitos.

Por Ana Cristina Accioly - Assessora de Educação Ambiental

Nenhum comentário

Adalberto Gomes Noticias . Imagens de tema por MichaelJay. Tecnologia do Blogger.