Header Ads

Retorno do pirá às águas do Baixo São Francisco encerra celebração do Dia Mundial da Água no Baixo São Francisco alagoano

Imagem assessoria
Na semana em que se comemorou o Dia Mundial da Água, 22 de março, as águas do rio São Francisco, entre os estados de Alagoas e Sergipe, receberam novamente o Pirá, peixe símbolo da bacia. Há muitos anos a espécie não é vista na região do Baixo São Francisco. O peixamento realizado pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) inseriu cerca de 200 mil peixes de espécies nativas no rio, inclusive o pirá, encerrando a programação do Dia Mundial da Água em Penedo (AL). A análise da qualidade da água do rio, um passeio educativo de barco e orientações à população também foram algumas das atividades que encerraram a programação.

Segundo o engenheiro de pesca da Codevasf Álvaro Albuquerque, esse peixamento representa um momento histórico para o meio ambiente e para a economia local. “Hoje é um dia especial, tanto pelas comemorações do Dia Mundial da Água quanto pela inserção de espécies nativas, em especial pela reinserção do pirá, peixe símbolo do rio São Francisco, desaparecido desta região e que existe atualmente apenas na região do alto São Francisco. Conseguimos trazer algumas unidades daquela região e tivemos a oportunidade de realizar a reprodução artificial desses animais para esse peixamento. É um momento histórico para o Baixo São Francisco, para a revitalização do rio e para Alagoas e Sergipe”, destacou.

As atividades foram realizadas no Porto das Balsas de Penedo e contou com a participação de dezenas de jovens ribeirinhos que desejavam contribuir para a conscientização sobre o uso racional da água. O estudante do curso de Engenharia de Pesca da Universidade Federal de Alagoas (UFAL) Dorinaldo Santos foi um dos participantes e destacou o momento histórico de reinserção do pirá na região.

“O pirá é uma espécie que tem um valor enorme em termos de cultura e para a economia da região. Essa espécie é o símbolo do rio São Francisco, endêmica dessa bacia hidrográfica, ou seja: não existe em nenhum outro lugar do mundo. Fizemos um trabalho com pescadores da região e o último registro dele foi em 2001. Essa ação resgata o nome do São Francisco. O rio sem o pirá é o mesmo que sumir uma letra de seu nome. Tenho certeza que 90% da população das cidades ribeirinhas dessa região nunca viu o pirá. Por isso, temos que agradecer à Codevasf e aos parceiros”, avaliou o futuro engenheiro de pesca.

Depois do peixamento, foi realizada uma coleta de água para monitoramento da qualidade da água do rio São Francisco, ação que integra o projeto Observando os Rios da Fundação SOS Mata Atlântica. Segundo a coordenadora do projeto em Alagoas, a professora da Unidade de Ensino de Penedo da Ufal Taciana Kramer, o monitoramento vem sendo realizado desde fevereiro de 2016 no mesmo ponto, o Porto das Balsas de Penedo.

“Ainda não temos os resultados finais para a análise de hoje, mas encontramos um valor alto de fosfato e de nitrato, o que não é um bom parâmetro. Esses índices podem estar relacionados a causas naturais, mas em geral estão associados à entrada de fertilização inorgânica que vem das culturas agrícolas. A princípio os resultados têm apontado uma qualidade regular da água, o que nos leva a pensar que, ao final dessa análise de hoje, o resultado também se mantenha regular”, adiantou a professora e pesquisadora da Ufal.

O superintendente regional da Codevasf em Alagoas, Antônio Nélson de Azevedo, comemorou o engajamento na programação, em especial da juventude do Baixo São Francisco. “Esse é um momento de comemorar a existência desse líquido precioso para a vida humana, mas também de refletir sobre sua escassez e seu uso racional. Afinal, nós, seres humanos, não estamos agindo corretamente para sua manutenção. Por isso, acredito que o grande engajamento dos jovens em datas como o Dia Mundial da Água pode ser o caminho para um futuro com mais consciência ambiental e ação prática no dia a dia para um melhor futuro”, disse.

A programação de celebração do Dia Mundial da Água foi finalizada em Penedo com um passeio educativo de barco pelo rio São Francisco com estudantes da região. Na quinta-feira (23), também foram realizadas visitas a duas nascentes localizadas na comunidade quilombola Tabuleiro dos Negros, em Penedo.

A reflexão sobre o uso racional foi um dos objetivos da programação do Dia Mundial da Água, que contou com a parceria das seguintes entidades: Codevasf, Instituto do Meio Ambiente de Alagoas (IMA/AL), Prefeitura Municipal de Penedo, Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Penedo (SAAE), Universidade Federal de Alagoas (UFAL), Instituto Federal de Alagoas (IFAL), Batalhão Ambiental da Polícia Militar de Alagoas e Comitê da Bacia Hidrográfica do rio São Francisco (CBHRSF).

Por Ascom Codevasf

Nenhum comentário

Adalberto Gomes Noticias . Imagens de tema por MichaelJay. Tecnologia do Blogger.