Header Ads

Patrimônio de presidenciáveis vai de zero a quase meio bilhão; veja lista

Imagem Google
Os 13 candidatos à Presidência da República declararam patrimônio somado de R$ 834 milhões, em uma curva que parte do zero e chega a quase meio bilhão.

No topo da lista João Amoêdo (Novo), que fez carreira como executivo do setor bancário, aparece com R$ 425 milhões, e o ex-ministro da fazenda Henrique Meirelles (MDB), que já presidiu o BankBoston, com R$ 377 milhões.

Já o bombeiro militar Cabo Daciolo (Patriota), que apesar de ser deputado federal desde 2015, com salário mensal de R$ 33,7 mil, afirmou à Justiça eleitoral não ter nenhum bem.

A relação patrimonial dos candidatos deve ser vista com reserva, porque a lei é bem permissiva nesse ponto, sendo raríssimos os casos de punição em relação a quem apresenta dados divergentes.

Um exemplo: a Receita Federal não permite que os contribuintes atualizem o valor de seus imóveis na declaração anual, já que, se isso ocorresse, teria perda de arrecadação no momento da venda do bem.

Não há nada na legislação eleitoral que obrigue os políticos a replicar essa conduta ao entregar o pedir o registro de candidatura, mas a maioria segue essa regra, evitando declarar o preço real, de mercado, o que reduz o valor patrimonial.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva declarou ter patrimônio de R$ 8 milhões, quase dez vezes o montante de seu último informe eleitoral de bens, em 2006, ano em que disputou a reeleição.

A inflação acumulada neste período foi de 97%.

Seguindo a lista dos presidenciáveis mais ricos, aparece José Maria Eymael (DC), com R$ 6,1 milhões.
Depois dele, vêm Álvaro Dias (Podemos), Jair Bolsonaro (PSL), Ciro Gomes (PDT) e Geraldo Alckmin (PSDB), todos com patrimônio declarado entre R$ 1 milhão e R$ 3 milhões.

A candidata da Rede, Marina Silva, declarou ter R$ 118 mil em patrimônio. Em 2014, Marina afirmava ter R$ 181 mil em bens.

De lá para cá, a candidata manteve a casa e os seis lotes em uma chácara em Rio Branco, no valor de R$ 60 mil e R$ 42 mil, respectivamente. As aplicações bancárias declaradas minguaram, afirma no documento entregue à Justiça Eleitoral: de R$ 30 mil no banco HSBC há quatro anos, Marina passou a ter R$ 7.159.

Vera Lúcia, do PSTU, que declarou um terreno de R$ 20 mil, e Guilherme Boulos, do PSOL, com um veículo de R$ 15 mil, completam a lista.

Veja quanto declarou cada candidato:

LULA (PT)

Declaração de bens 2018: R$ 7.987.921,57

JAIR BOLSONARO (PSL)

Declaração de bens: R$ 2.286.779,48

MARINA SILVA (REDE):

Declaração de bens: R$ 118.835,13

CIRO GOMES (PDT):

Declaração de bens: R$ 1.695.203,15

GERALDO ALCKMIN (PSDB):

Declaração de bens: R$ 1.379.131,70

ALVARO DIAS (PODEMOS):

Declaração de bens: R$ 2.889.933,32

HENRIQUE MEIRELLES (MDB):

Declaração de bens: R$ 377.496.700,70

CABO DACIOLO (PATRIOTA):

Declaração de bens: Não declarou nenhum

GUILHERME BOULOS (PSOL):

Declaração de bens: R$ 15.416

JOÃO AMOÊDO (NOVO):

Declaração de bens: R$ 425.066.485,46

VERA LÚCIA SALGADO (PSTU):

Declaração de bens: R$ 20.000

JOÃO GOULART (PPL):

Declaração de bens:  R$ 8.591.035,79

JOSÉ MARIA EYMAEL (DC):

Declaração de bens: R$ 6.135.114,71

Por Sete Segundo com Folha de São Paulo

Nenhum comentário

Adalberto Gomes Noticias . Imagens de tema por MichaelJay. Tecnologia do Blogger.